JARDINS VERTICAIS: CONHEÇA OS BENEFÍCIOS

Exuberantes, os jardins verticais são mais do que bonitos. Eles melhoram a temperatura e a qualidade do ar de ambientes internos e externos

Com volumes variados, o jardim vertical da Sky Garden protagoniza o living da arquiteta Vivian Giometti de Vasconcellos, do Estúdio Cada Um (Foto: Edu Castello/Editora Globo)

Falta espaço nas grandes cidades para criar mais áreas verdes, mas sobram paredes nuas em prédios e muros de casas. Uma boa maneira de contornar essa escassez é fazer uso dos jardins verticais: intervenção paisagística em que paredes externas ou internas são cobertas por vegetação. O uso de blocos cerâmicos específicos ou a combinação de vasos meia-lua presos a telas metálicas são as formas de execução mais comuns. “Eu os enxergo mais como uma ferramenta de qualidade ambiental do que como um enfeite. É uma tecnologia que permite a criação de áreas verdes onde antes era impossível”, conta o botânico Ricardo Cardim, proprietário da loja SkyGarden.

BENEFÍCIOS

Além da beleza visual e de proporcionar um contato mais próximo com a natureza, as paredes verdes oferecem benefícios importantes, como o aumento da umidade do ar, a redução da temperatura ambiente, a reciclagem dos gases tóxicos e a diminuição da poluição sonora. Quando executada em áreas externas, ela também cria um nicho ecológico propício para a visita de pássaros. Neste caso, vale fazer uso de espécies nativas, como columeia, lantana, peperômia, azulzinha e guaimbê. “Ainda não existem estudos específicos no Brasil, mas a sensação é empírica. Você percebe a melhora assim que entra no ambiente; é bem significativo mesmo. O tamanho das paredes verdes varia, mas é importante que que sejam proporcionais ao local em que estão inseridas. Mas quanto maior forem, mais benefícios trarão”, afirma

FACHADA VERDEJANTE

O Movimento 90º, que toma partido de empenas cegas de edifícios para implementar jardins verticais, já contabiliza seis prédios transformados. Capitaneado pelo paisagista Guil Blanche, o projeto de construção do primeiro corredor verde do mundose concentra na região do Elevado Costa e Silva (que está em trâmite de mudança de nome para Elevado Presidente João Goulart), na capital paulista, e tem previsão de chegar a dez parques verticais até o fim do ano, totalizando um ganho de mais de 8 mil m² em áreas verdes.

O cantinho entre a cozinha do escritório e a sala de reuniões da paisagista Caterina Poli ganhou jardim vertical com samambaias e barbas-de-serpente intercaladas (Foto: Gui Morelli/Editora Globo)
Acostumada a viver em casa, a moradora não abria mão de ter plantas na varanda. Mas o espaço também teria que acomodar móveis. A solução encontrada pela arquiteta Selma de Sá Moreira foi aproveitar o pé-direito duplo para criar um jardim vertical (Foto: Edu Castello/Editora Globo)
Fonte: Revista Casa e Jardim
Anúncios